fotos e vídeos

25 02 2009

Conforme prometido, aqui esto as fotos e vídeos do carnaval, incluindo o momento em que fui raptada por uma bruxa só porque tava tirando fotos… ela Pegou duas maos cheias de confete e jogou na minha cabeca, o que faz com que até hoje eu ainda encontre confete nas minhas coisas. Mas foi legal a experiência. Eu ia colocar mais fotos, só que o pc tá muito lerdo e eu to com preguica. Mas acho que já dá pra ter uma idéia de como é o carnaval aqui.






Neve ou confete???

24 02 2009

(Tinha tanto tempo que nao entrava aqui que eu nao lembrava, mas ja tinha um post praticamente pronto sobre o carnaval… Entao resolvi fazer uma edicao rapida e posta-lo aqui antes das noticias realmente serias e importantes, que ainda tenho que escrever. Vou colocar fotos e videos assim que lembrar de pegar o usb da camera, alem das tais noticias sobre as quais estou fazendo tanto misterio que vao ter que ser muito bem escritas pra voces nao fazerem aquela cara de “Ah, era so isso?”. Entao, meu caro leitor, continue visitando que em breve tera coisas mais emocionantes para ler.)

Bom, depois que a familia toda foi esquiar na Autria e me abandonou aqui, nessa casa branca e fria, sem poder curtir um lugar muito mais branco e muito mais frio, o que eu poderia fazer a nao ser aproveitar minhas semi-ferias? Quem me conhece sabe que eu sou completamente louca por carnaval, a ponto de saber de cor todos os sambas enredo do ano, antes de eles serem divulgados, de pular até cair e gritar até perder a voz atrás de todos os trios elétricos que eu conseguir acompanhar, de desfilar todo ano, nem que seja no Unidos do Bairro Pompéia, de beber toooodas com direito até a um churrasquinho pra acompanhar. Nao é? É claro que nao. Acho que eu teria que nascer de novo, umas três vezes no mínimo só pra entender qual é a graca de um monte de gente bêbada e suada pulando e gritando e se agarrando ao som de uma coisa que costumam chamar de música, bebendo até nao conseguir se lembrar de quantos já pegou (o que certamente é muito mais grave do que esquecer onde mora). Mas enfim, provavelmente vocês como bons brasileiros que sao certamente gostam disso e se eu continuar a falar mal dessa festa maravilhosa, vou acabar sendo abandonada ate pela minha familia no Brasil (o que na verdade sempre acontece nessa epoca, quando eles vao pra Sabara ou pra Diamantina ou qualquer coisa desse nivel… ou eu posso fugir de casa tambem, como e o caso agora) Na verdade a única coisa que o carnaval traz de bom pra mim é o feriado. Normalmente nao adianta muito na faculdade, porque ainda estou de férias nessa época, mas para o trabalho é sempre bom. E aqui na Alemanha, e alguns vao morrer de inveja disso, as escolas têm dez dias de férias no carnaval. O que significa que os pais aproveitam a época pra viajar com os pimpolhos, como é o caso dessa família. Enquanto isso, eu fiquei em casa bebendo todo o estoque de suco de maca (nao, nao é aquela coisa de transportar doentes, mas aquela fruta que a branca de neve mordeu e que nos teclados de gente se escreve com c cedilha e til (e é claro que é mais fácil esclarecer isso com parênteses do que digitar o código para que essas letras aparecam)), fazendo todos os esportes que meu corpo conseguiu suportar, incluindo cama elástica (o que me rendeu uma bela dor nas costas que até hoje faz o favor de me lembrar que eu afinal de contas nao devia ter pulado tanto no carnaval) e o que é mais impressionante, assistindo o desfile da Gavioes de Heidelberg.

Aqui nao é uma cidade com tradicao de carnaval como Colônia, por exemplo, pra onde vao pessoas do mundo todo e que é descrito como sendo o melhor carnaval da vida de alguns brasileiros, inclusive. Nao sei se voces sabem, mas era pra Colonia o meu projeto inicial de intercâmbio e é onde mora a primeira alema que conheci, na época em que eu mal sabia falar Hallo e Guten Tag. Mas digamos que passar o carnaval com a Maike seria um tanto quanto… exotico demais. Entao resolvi conhecer mais da cultura de Heidelberg e fui ver o desfile da cidade.

Vocês que estao no Brasil, estao acostumados a ver as pessoas fantasiadas no carnaval tentando colocar (ou nao colocar) o mínimo de roupa possível nos mais diversos tipos de fantasia: índio, havaiana, colegial e por aí vai. Digamos que aqui as pessoas também se fantasiam. Ou pelo menos pintam o rosto e até as pessoas mais velhas saem na rua com o rosto pintado, mesmo que pareca pintado pelo netinho (o que provavelmente foi). Alguns colocam máscaras, uma peruca ou um chapéu engracado e pronto! Estao fantasiados. Mas tem os corajosos, que se fantasiam por exemplo de havaianas! Pois é, aqui também tem havaianas. Você deve estar agora imaginando como uma pessoa vestida com uma sainha de palha e um bustiê pode suportar esse inverno de no máximo 6°. Acontece que as havaianas alemas sao mais modernas e conseguem se adaptar a tudo. Entao se está frio e eu quero ser havaiana, o que vou fazer? Me resignar com meu destino e morrer congelada na praca? Nao, meu caro leitor ingênuo. Se eu vou ser havaiana, mas estou na Alemanha, tenho que primeiro me fantasiar de alema! Ou seja, bota, calca, casaco, cachecol e gorro, de preferencia tudo preto. Depois é só colocar um colar de flores por cima do casaco e uma saia por cima da calca. E voila! Uma havaiana perfeita. E se você quiser ser bailarina, borboleta ou qualquer outra coisa que sua imaginacao permitir, nao tem problema! É só repetir o mesmo processo e você tem uma fantasia perfeita totalmente adaptada às condicoes climáticas. Talvez seja por isso que o Brasil tenha tanta tradicao em carnaval. Se nessa época fosse inverno no Brasil (e um inverno de verdade, nao esses que quando faz 15° todo mundo acha que o mundo vai acabar), nao iria dar certo. Por mais que o povo brasileiro seja caloroso e tudo mais, você consegue imaginar uma rainha de bateria sambando com bota, casaco e cachecol?

Bom, aqui nao tem rainha de bateria. Tambem nao tem exatamente o que da pra chamar de bateria. Mas tem carros grandes e enfeitados, que a gente ae poderia chamar de carro alegorico – ou trio eletrico, nao tenho muita certeza – onde ficam pessoas fantasiadas distribuindo – leia-se jogando – coisas dos mais diversos tipos na populacao euforica la embaixo. Na maioria sao doces e normalmente sao as criancas que pegam ou os pais que pegam pras criancas – mas e claro que eu peguei tambem – e tem outras coisas, como pao, flores, bolsas, brinquedos, garrafas de bebida, comida e tudo o mais que a imaginacao permitir… A musica nao e samba. Nem axe ou qualquer coisa assim. Na verdade nao sei definir bem o que eh. E como cada carro toca uma musica diferente, acaba sendo um pouco dificil de lembrar delas depois. Mas conhecendo minhas habilidades musicais, gravei videos do desfile, pra nao esquecer e depois vou postar aqui.

Achei o carnaval bem legal, de maneira geral. Ate iria de novo, nem que fosse pra ganhar doce de graca. Provavelmente, meus leitores como bons brasileros nao vao concordar e dizer que preferem um bando de gente suada e fedendo a cachaca. Mas eu posso ate dizer que foi o melhor carnaval da minha vida, porque afinal de contas o desfile das Piranhas do Morro, em Sabara nao eh la muita base de comparacao.